Espiritualidade

Qual a verdadeira natureza do sofrimento?

Qual a verdadeira natureza do sofrimento? Por vezes sentimos que levamos uma vida sem sentido. Em tudo o que fazemos e pensamos ficamos com a sensação de que a vida está contaminada por um nível de infelicidade tal, que só nos apetece fugir. Neste estado de infelicidade interior, apenas cada um sabe o nível que atinge.

Desejamos a felicidade mas experimentamos, em cada dia, coisas que não gostamos. Sonhamos com o paraíso, mas experimentamos,  na maioria das vezes, uma realidade, penosa e dolorosa. “Não percebemos como alguém pode afirmar “podes viver a vida que sonhares”. Lunáticos, mentirosos! A vida é a mesma todos os dias. O tempo passa devagar, é angustiante. Consumimo-nos pela ansiedade. Apercebemo-nos de que quanto mais perseguimos os nossos sonhos e lutamos por eles, mas se mostram distantes e inalcançáveis. Desesperamo-nos e a vida torna-se num vazio imenso.

Dizemos para nós mesmos “se eu tivesse isto, aí sim, seria feliz!” Enquanto alimentamos o “se” que vai crescendo dentro de nós, entramos numa dinâmica de busca de outras realidades, evadindo-nos assim da dor e do sofrimento . Experimentamos outro grupo de amigos, outro parceiro, outra viagem, outra tecnologia…. “Pode ser que desta vez as coisas mudem!”Mas, quando regressamos destas experiências externas reparamos que nada se alterou, ou a vida se complicou, mais e mais! Os problemas não se solucionaram sozinhos só porque estávamos distraímos. O parceiro já não te satisfaz, a doença espreita-te, o teu filho não é verdadeiramente aquele que desejaste…“saiu ao pai, à mãe, ao avô…”. Apercebes-te de que a realização de um desejo trouxe consigo um sofrimento que não desejaste. O que fazer? Qual a verdadeira natureza do sofrimento?

A verdade é que, em silêncio, todos sentimos uma carga de insatisfação, por mais felizes que possamos parecer ou sentir. Será a vida um prazer, ou um vale de lágrimas? O que é a vida afinal? Depende. A realidade pode ser de uma maneira ou de outra, depende da atitude que quiseres ter perante ela. O auto-conhecimento é importante. Quando melhor nos conhecermos, mais nos afastamos do sofrimento. Esta é uma opção que todo o ser humano tem para lidar com a dor e o sofrimento. Tu (es)colhes o que plantas.

Gretchen Rubin  uma das escritoras mais influentes  sobre hábitos e felicidades, autora de best-sellers como “Projecto Felicidade” num vídeo publicado em 29/02/2016, intitulado Finding your spiritual master, afirma  existirem várias formas de nos conhecermos melhor e que o caminho espiritual pode ser uma delas.

Fotografia: SAPO Fotos “Christian Schloe (arte).jpg” de sonho_realidade 

Deixar uma resposta